Skip to content

TRICOTEIRAS – Compras coletivas. Quem já fez sua primeira?

setembro 17, 2010

Euuuuuu!!!

Toda manhã quando abro meu email, lá estão eles, todos os emails desses sites, aflitos pulando uns sobre os outros bem no estilo “primeiro eu, me abre primeiro, minha promoção é melhor!” kkk, porquê é claro que eu fiz cadastro em todos os sites que fui achando na internet. 

Tenho me esforçado muito pra não cair na tentação diante de tantas promoções, mas dia desses fiz minha primeira compra. Minha muquiranice foi vencida por uma promoção tentadora.

Como toda taurina desconfiada, antes de bater o martelo eu fiz uma mega pesquisa pra saber se realmente aquilo que eu estava prestes a comprar era uma promoção real, pois às vezes a gente vê, de tanto por tanto e cai no conto, né?

A tal promoção era super real, comprei um belo kit com pelling de diamante + máscara relaxante + máscara de ouro. Eu achei super positiva essa minha primeira experiência, pois como já falei anteriormente, sou muito desconfiada e na minha cabeça a coisa tava meio assim:

“o site pode me enrolar porque o pagamento é feito direto pra eles, e se eles não repassarem ao estabelecimento? vai saber…Além do mais, depois de me estressar com o site, eu vou chegar no centro estético e com certeza vão me olhar torto, afinal paguei barato, não sou uma cliente vip…”

Que bom que eu errei feio! O preço? Excelente! O atendimento no site? Rápido ligeiro e sem nenhum probleminha sequer. O atendimento no centro estético? Melhor ainda, tipo andando pelo tapete vermelho, sabe? E agora o melhor: a minha pele? Pele de pêssego!

Indico a todos, mas não caiam na tentação da compra inútil, hein?
Ah, e se alguém quiser as indicações é só me perguntar!

Por Gisele Moura

Tricoteiras – Pendengas de um criativo

setembro 3, 2010

 

O Criativo  pelo menos uma vez na vida encara uma pendenga. As minhas geralmente são com pessoas que se dizem criadoras, mas na verdade são copiadoras e isso me irrita muito, pois pesquisar, tirar idéias e ver tendências não são a mesma coisa de copiar descaradamente.

Hoje eu decidi contar algumas das  situações que já aconteceram comigo e acho que qualquer pessoa que trabalhe criando, seja objetos, idéias, música e tals, vai se identificar com as minhas histórias.

No meu caso, uma das coisas que mais me dão prazer em criar, são minhas bijuterias, e no meu processo de criação pesquiso, tendências, materiais, estilos,  preço e mais, desenho as peças, vou aos fornecedores, faço o colar.

Quando eu divulgo na internet para VENDA ou coloco em lojas para VENDA, recebo emails e comentários no flickr, orkut, face e tals, do tipo:

“Nossa! Suas peças são lindas demais, dá vontade de comprar todas. Eu também sou Artesã e queria fazer o colar Ref 43, mas não tô achando a linha da mesma cor, você pode me dizer onde eu encontro?”

Ou essa outra pessoa aqui, que não sei se eu fiquei com muita raiva ou muito triste pela falta de sinceridade dela no primeiro email que recebi:

“Olá Gisele tudo bem? Estou entrando em contato pois vi seu Flickr e me interessei por algumas peças, você pode me passar um orçamento?”

Prontamente, mandei o email com tudo detalhadinho. Depois de um mês sem retorno decidi entrar em contato.
“Oi Fulana de Tal, gostaria de saber se você recebeu meu email com o orçamento e se posso te ajudar em mais alguma coisa”.

A resposta: “ah, não vou ficar com nenhum, eu estava apenas querendo saber por quanto você vende porquê estou pensando em começar a fazer bijuterias iguais as suas e achei que você não me daria as informações, desculpe, foi mal.”

Tudo bem, acho legal ser referência para os outros.  Acho legal também todo mundo se ajudar, afinal trabalho na web é basicamente isso,  compartilhar informações.  Mas falta de bom senso e cara de pau não dá, né?
Pena que eu fiquei tão irritada com a mentira que eu deletei e não respondi isso pra ela! Será que ela lê o Tricoteiras?

Por Gisele Moura

100palavras – Words

agosto 26, 2010
tags: ,

Palavras 1oopalavras, assista.

via Trabalho Sujo

Você vive em comunidade?

agosto 19, 2010

No último post falei como podemos ser mal atendidos no comércio. Hoje vou falar do outro lado, de como às vezes as pessoas não sabem aproveitar um bom serviço prestado.

Desde criança aprendemos com nossos pais sobre a importância de respeitar o próximo para estar bem com as pessoas e podermos viver bem em comunidade.

Mas o que é viver em comunidade? A Wikipédia me disse o seguinte: “ uma comunidade é um conjunto de pessoas que se organizam sob o mesmo conjunto de normas, geralmente vivem no mesmo local, sob o mesmo governo ou compartilham do mesmo legado cultural e histórico” Podemos lembrar também de coisas simples como: “Nosso direito termina onde começa o do outro”. Eu tento viver assim, mas confesso que infelizmente isso está bem difícil pela falta de reciprocidade.

Explico. Gente, fui a primeira reunião do meu condomínio. Era somente uma reunião pra saber sobre coisas que acontecerão nos primeiros meses, pois o empreendimento nem entregue foi. A idéia era auxiliar na integração dos moradores e falar de assuntos referentes ao Condomínio.

Nessa reunião entendi por que o fantástico teve tanta audiência naquela série sobre o tema. Todo mundo queria falar ao mesmo tempo. O “coitado” que estava no comando da reunião não conseguia dar prosseguimento ao seu cronograma, de tanto que era interrompido, e o pior, com perguntas nada pertinentes ao assunto abordado no momento. Ainda assim ele se manteve firme e forte na sua função de orador sem perder a paciência, e se perdeu, não deixou transparecer.

Confesso que fiquei com medo de algumas pessoas presentes ali. Um querendo falar mais alto e por cima do outro, uns querendo fazer a sua opinião prevalecer sem ao menos se dar ao trabalho de ouvir o que está sendo dito. Até aproveitei pra rir um pouco de tantos absurdos, mas ao mesmo tempo não conseguia deixar a minha frustração de lado, pois de repente me lembrava “nossa, eles serão meus vizinhos!”

Saindo de lá, eu e meu marido começamos a sessão “remember” e chegamos à conclusão que tínhamos acabado de sair de uma aula de COMO NÃO VIVER EM COMUNIDADE, exatamente o contrário da proposta da reunião.

E dando minhas tricotadas sobre atendimento, faço aqui justiça. Eu falo tanto sobre a eterna busca pelo bom atendimento e quando surge um, o que acontece? As pessoas jogam no lixo.

(Por Gisele Moura)

TRICOTEIRAS – A pomada da discórdia

agosto 11, 2010

Hoje eu vou contar sobre uma das minhas experiências em lojas de cosméticos.

Eu sou o tipo de cliente que detesssssta que o vendedor cole no meu cangote e fique andando atrás de mim enquanto observo vitrines. No caso de loja de cosméticos, decido por qual marca levar, sou logo sincera com eles e já digo: “gosto de olhar tudo com calma…eu te chamo se precisar de ajuda, ok?” Bom pra mim e bom para o vendedor, pois eu fico a vontade e ele pode se ocupar com pessoas que queiram esse tipo de atendimento.

Dia desses fui a uma loja de cosméticos muito boa e bem completa com relação à quantidade e qualidade de produtos. Já fui com aquela lista de compras meio definida em mente. Achei o shampoo, o condicionador e as besteirinhas que eu chamo de “guloseimas”, como um batonzinho, um lápis novo, uma sombrinha sabe? Mas cadê que eu acho minha pomada pra cabelos preferida? A loja estava em reforma e meio bagunçada, então achei mais fácil perguntar para a atendente que tinha me abordado na entrada.

Muito gentilmente, assim que perguntei sobre onde estavam as pomadas, ela sacou um big pote da marca da qual ela era promotora. Eu, muito educadamente, ouvi toda a proposta do produto, agradeci a atenção mas expliquei que já usava uma determinada marca a algum tempo e que naquele momento eu não queria arriscar um novo produto. Perguntei se ela teria uma amostra grátis pra eu poder provar a tal pomada.

A gentil moça se transformou, me deu as costas e saiu dizendo: “a pomada que você quer está aqui e ela é muito ruim e inferior a essa que te ofereci! E, amostra grátis? – fazendo aquela carinha de uffs! – nós não temos não!”

É por isso que deixo aqui algumas considerações às empresas que querem ser bem vistas pelos consumidores:

1-     Façam uma boa seleção de pessoal.

2-     Treinem bem as pessoas escolhidas, eles são o cartão de visitas de sua empresa e consequentemente de seus produtos.

3-     Invistam em amostras grátis de produtos, no meu caso eu já comecei a usar várias marcas após ter recebido uma amostra.

4-     Se a sua empresa possui email, rede social ou 0800, por favor respondam os contatos

Bom, acho, que é isso. Alguém tem mais alguma dica?

(Por Gisele Moura)

100palavras – A trágica história do jogador Gerúndio

agosto 6, 2010

Queimaram ele. Acabram com a carreira dele. Ninguém mais queria colocar ele pra jogar.
Durante muito tempo ele foi bem aproveitado. Suas colocação era perfeita. Seu sentido de tempo de bola era único. Dava ritmo ao time, fazia

seus companheiros, ainda que cansados, não pararem nunca.

Até que um dia, numa dessas transações esquisitas, Gerúndio foi levado para outro clube. Lá, todos acreditavam que chegara mais do que um craque, um coringa que entra em qualquer posição e resolve.

Esse não era o Gerúndio. Ele sabia qual era a sua função, tinha a noção de que era o melhor naquilo que sabia fazer. Sabia também que não renderia em outra posição. Mas o técnico colocou Gerúndio em todos os lugares menos na sua posição de origem.

Começou a jogar mal, ficar desconfortável, se sentir realmente fora do seu contexto. Imprensa, torcida, todos percebiam que havia algo errado, que ele não tinha mais clima para ficar ali.

Resultado: Gerúndio foi desaparecendo, ficando no banco de reservas, ninguém mais queria utilizá-lo, até que começou a ser negociado com clubes de menor expressão. Em alguns deles, o técnico até o colocava em sua posição, mas  começada a partida,  passsava-se 5 minutos, ele tocava na bola, a torcida gritava “A, É, I, PEDE PRA SAIR!”   e o técnico acabava tirando, mesmo sabendo que ele iria cumprir muito bem sua função durante o tempo da partida.

Clube, por clube, técnico por técnico, ninguém mais queria ser alvo de críticas ruins da imprensa ou das reações exageradas da torcida.

Assim, sem chances de jogar, sem atenção da mídia ou contratos publicitários, o outrora bom jogador Gerúndio, caiu no ostracismo, se entregou ao alcolismo perdeu tudo o que tinha, inclusive sua dignidade.

Vez  em quando, um ou outro jornalista faz uma matéria sobre sua vida, com o tema de “como o mal emprego de algo ou alguém em uma função pode virar uma tragédia”.

Hoje Gerúndio mora  por aí, de vez  enquando você pode encontrá-lo pela ruas ou em velhos almanaques e textos esquecidos. Apesar de ignorado ele não para nunca,  e  se você der bola para ele, vai ver que ainda hoje controla o tempo como ninguém.

(Por Jean Marcel)

Ó nóis aqui traveiz…

agosto 3, 2010

Gente!

Depois de um período de hibernação,  o Cafundozando volta e o Tricoteiras também! Pois é, e eu, voltei com a corda toda. Vontade de Tricotar não me falta, tanto que a partir de agora estarei assumindo o outro lado do balcão também.

É isso mesmo, eu já falei em alguns textos meus, do quanto eu valorizo um bom atendimento, seja na padaria, no pastel da esquina ou em uma boutique de luxo, pois acho que é no bom, ou no péssimo atendimento que devemos avaliar se uma empresa merece ou não a nossa fidelidade. Simmm, porquê nós temos que tomar as rédias da coisa!

Nós CONSUMIDORES temos que estar atentos, pois a concorrência tá ai, porquê se não somos bem atendidos, ou compramos uma falsa promessa, temos o direito de reclamar, pedir troca, questionar!!! Mas sem perder a razão hein? E depois correr para a concorrência e ver o q ela tem para nos oferecer… bem enfim, vocês já viram que tenho muita  história para contar e entre elogios,  reclamações e dicas, acho que voltaremos a dar boas risadas.

Para você que vem sempre Tricotar comigo, obrigada por me esperar e para você que acabou de chegar, já vai se atualizando e dando uma olhada no que eu já tricotei por aqui, e é claro espero que goste e volte, pois precisamos de vocês aí do outro lado rindo, se vendo, questionando e por favor comentando!!!!!

Mil beijos e aguarrrrdem, Tricotadas, 100palavras e outras novidades, rs…